DízimoComunicação
 
 
 
 

Como estruturar a comunicação em minha paróquia?

15.02.2018 | 5 minutos de leitura
Agência Arcanjo
Comunicação
Como estruturar a comunicação em minha paróquia?

Como estruturar a comunicação em minha paróquia?

Você tem observado que sua paróquia precisa de ajuda na comunicação? Está procurando saídas, mas não encontra algo específico? Então, este é o lugar certo! Conecte-se com a gente e vamos pensar em comunicação de/para/nas paróquias! 

Antes, porém, é preciso entender que a comunicação de uma paróquia começou a ser pensada em dois grandes momentos na Igreja Católica: o primeiro, à nível mundial, com o Concílio Vaticano II, responsável pela elaboração do decreto Inter Mirifica, em 1963, que transformou o modo de utilizar e perceber os meios de comunicação na Igreja. O segundo, em nível nacional, a Campanha da Fraternidade de 1989, que abriu as portas da instituição no Brasil para a comunicação. 

E o que isso tem a ver? Tudo, pois, foi a partir desses fatos que a Igreja percebeu que precisa relacionar melhor sua missão evangelizadora usufruindo dos meios de comunicação. Não para criar entretenimento, porque a Palavra de Deus deve ser a principal atração, mas a comunicação na Igreja ajuda a pensar em como fazer o Evangelho ainda mais conhecido e amado.   
 
Jesus é o perfeito comunicador do Pai, e é Ele quem fez o primeiro apelo para anunciar abertamente e sem medo a proposta do Evangelho, a verdade e a vida. Ele disse aos Seus discípulos: “o que lhes é dito aos ouvidos, o proclamem sobre os telhados” (cf. Mt 10,27). 

A comunicação precisa contribuir e integrar a comunidade paroquial. A palavra comunicação não se restringe a um organismo somente, mas todas as pastorais que formam um corpo. Contudo, pertence à equipe de comunicadores a missão de pensar, planejar, articular e promover a comunicação no cenário pastoral. Ou seja, não existem mais motivos para sua paróquia não se comunicar. Precisamos de comunicação já! 

Quero comunicar. Por onde começar?

O primeiro passo é conseguir o aval do pároco. Tenha-o como o principal conselheiro da sua equipe de comunicação, pois ele, mais do que ninguém, conhece bem os objetivos e necessidades de sua paróquia, e é autoridade no cenário paroquial. 

Com a bênção do pároco, filtre as pessoas certas para integrar uma equipe de comunicadores. Pense muito bem, porque essa equipe precisa seguir cinco princípios básicos para uma comunicação paroquial dar certo. São eles:

1. Sinergia: antes de servos, Jesus nos chamou de amigos (cf. Jo 15,15), portanto, para um bom relacionamento pessoal e amigável, encontre pessoas que tragam sinergia, cooperação e uma amizade sincera. 

2. Assiduidade: os comunicadores precisam entender aquilo que vão comunicar, então, necessariamente, precisam ser pessoas com vida ativa na Igreja, que participam dos sacramentos, missas e encontros da paróquia. 

3. Conhecimento: para atingir um bom resultado, é importante que os comunicadores tenham o mínimo de conhecimento em ferramentas, funções e práticas para fazer acontecer a comunicação da paróquia. 

4. Parceria: para que ninguém se sobrecarregue exercendo muitas tarefas, distribua entre a equipe as funções de cada comunicador. Ex.: Um responsável pelas fotos, outro pelas redes sociais, dentre tantas outras atividades que se encaixarem na sua realidade.  

5. Representação: a equipe precisa estar nas principais reuniões da paróquia, como o Conselho de Pastoral Paroquial (CPP), na qual concentram-se todas as lideranças e pastorais, a fim de, sobretudo, a comunicação gere comunhão entre os paroquianos. 

Planejamento e execução de comunicação paroquial

“Tenham coragem e não tenham medo de sonhar coisas grandes”, disse o Papa Francisco aos jovens na JMJ Rio 2013. Para sonhar, é preciso ter metas, pois, para quem não tem meta, qualquer resultado é aceitável. Parafraseando o Santo Papa, a comunicação precisa ter coragem de sonhar grande, e com os pés no chão. 

Não apenas sonhar, mas traçar estratégias e planejamentos atingíveis. A equipe de comunicadores deve pensar a maneira correta de executar seus planos, sejam eles de informar pelas redes sociais, sites, revistas e informativos, fotografias e filmagens, entre outros que atendam a necessidade e se encaixem à realidade da paróquia. 

Para ajudar nos planejamentos, traçamos quatro requisitos básicos para criar um plano ideal de comunicação. Vamos planejar! 

1. Metas: antes de tudo, conheça o seu público alvo, saiba quais são as pessoas a quem você comunica. A partir desse norte, suas metas serão estabelecidas. Ao definir o planejamento, procure estipular metas a curto, médio e longo prazo, para que, dessa forma, você tenha dimensão do que será feito e quanto tempo será necessário para atingir os objetivos. 

2. Recursos: dentro de uma realidade financeira, algumas paróquias podem ter receio quanto ao investimento em determinados recursos. Identificar as necessidades e apresentar as potencialidades dos recursos em vista da otimização de resultados podem trazer mais segurança. Com discernimento, disciplina e estratégias, é possível fazer mais com menos. Por isso, tenha dentro de suas metas um valor e o prazo para os investimentos, organizados junto ao pároco e lideranças, a fim de que se tornem reais e alcançáveis. 

3. Formação: busque cada vez mais conhecimento, pois a formação é um dos pilares da eficácia na comunicação. Muito mais do que fazer, é preciso entender a comunicação. Portanto, não tenha medo, de pelo menos três vezes ao ano, organizar momentos de formação para a equipe. Isso fortalece muito os laços sociais e capacita ainda mais os comunicadores. 

4. Profissionalismo: para potencializar ainda mais os trabalhos da comunicação, a paróquia pode optar por um serviço profissional na área, como o auxílio de uma agência de comunicação especializada no segmento católico. Contar com uma equipe de profissionais que pensam estratégias e ações de comunicação para as paróquias, que conhecem e vivem as diretrizes da Igreja, pode despertar ainda mais comunicadores nas comunidades e fortalecer o cenário pastoral. 


Lembre-se: para tudo isso, Deus só precisa de um coração aberto. Seja você um coração comunicador a ajudar sua paróquia. Vamos comunicar!

Mais em Comunicação
Comente com o facebook
 
  •